Muito prazer, eu sou o seu sintoma.

Já pensou se o seu sintoma tivesse a chance de te escreve um carta? Garanto que seria alguma coisa assim:

“Olá, tenho muitos nomes: dor de joelho, abscesso, dor de estômago, reumatismo, asma, mucosidade, gripe, dor nas costas, ciática, câncer, depressão, enxaqueca, tosse, dor de garganta, insuficiência renal, diabetes, hemorroidas e a lista continua. Ofereci-me como voluntário para o pior trabalho: ser o portador de notícias pouco agradáveis para você.

Você não entende, ninguém me compreende. Você acha que eu quero lhe incomodar, estragar os seus planos de vida, todo mundo pensa que desejo atrapalhar, fazer o mal, limitar vocês. E não é assim, isso seria um absurdo. Eu o sintoma, simplesmente estou tentando lhe falar numa linguagem que você entenda.

Vamos ver, me diga alguma coisa. Você negociaria com terroristas, batendo na porta com uma flor na mão e vestindo uma camiseta com o símbolo da “paz” impresso nas costas? Não, certo?

Então, por que você não entende que eu, o sintoma não posso ser “sutil” e “levinho” quando preciso lhe passar uma mensagem. Me bate, me odeia, reclama de mim para todas as pessoas, reclama de minha presença no seu corpo mas, não para um minuto para pensar e raciocinar e tentar compreender o motivo de minha presença no seu corpo.

Apenas escuto você dizer: “Cala-te”, “vá embora”, “te odeio”, “maldita a hora que apareces-te”, e muitas frases que me tornam impotente para lhe fazer entender mas, devo me manter firme e constante, porque devo lhe fazer entender a mensagem.

O que você faz? Manda-me dormir com remédios. Manda-me calar com sedativos, me suplica para desaparecer com anti-inflamatórios, quer me apagar com quimioterapia. Tenta dia após dia, me calar. E me surpreendo de ver que às vezes, até prefere consultar bruxas e adivinhos para de forma “mágica” me fazer sumir do seu corpo.

A minha única intenção é lhe passar uma mensagem, mesmo assim, você me ignora totalmente.

Imagine que sou a sirene do Titanic, aquela que tenta de mil maneiras avisar que tem um iceberg na frente e você vai bater com ele e afundar. Toco e toco durante horas, semanas, meses, durante anos, tentando salvar sua vida, e você reclama que não deixo você dormir, que não deixo você caminhar, que não deixo você trabalhar, ainda assim continua sem me ouvir…

Está compreendendo?

Para você, eu o sintoma, sou “A doença”.

Que absurdo! Não confunda as coisas.

Aí você vai ao médico e paga por tantas consultas.

Gasta um dinheiro que não tem em medicamentos e só para me calar.

Eu não sou a doença, sou o sintoma.

Por que me cala, quando sou o único alarme que está tentando lhe salvar?

A doença “é você”, é “o seu estilo de vida”, são “as suas emoções contidas”, isso que é a doença e nenhum médico aqui no planeta terra sabe como as combater, a única coisa que eles fazem é me atacar, ou seja, combater o sintoma, me calar, me silenciar, me fazer desaparecer. Tornar-me invisível para você não me enxergar.

É bom se você se sentir incomodado por estar lendo isso, deve ser algo assim como um “golpe na sua inteligência”. Está certo se estiver se sentindo frustrado, mas eu posso conduzir o teu processo muito bem e o entendo. De fato, isso faz parte do meu trabalho, não precisa se preocupar. A boa notícia é que depende de você não precisar mais de mim, depende totalmente de você analisar o que tento lhe dizer, o que tento prevenir.

Quando eu, “o sintoma” apareço na sua vida, não é para lhe cumprimentar, é para lhe avisar que uma emoção contida no seu corpo, deve ser analisada e resolvida para não ficar doente. Deveria se perguntar a si mesmo: “por que apareceu esse sintoma na minha vida”, “que pretende me alertar”? Por que está aparecendo esse sintoma agora?

Que devo mudar em mim?

Se você deixar essas perguntas apenas para sua mente, as respostas não vão levar você além do que já vem acontecendo há anos. Deve perguntar também ao seu inconsciente, ao seu coração, às suas emoções.

Por favor, quando eu aparecer no seu corpo, antes de procurar um médico para me adormecer, analise o que tento lhe dizer, verdadeiramente, por uma vez na vida, gostaria que o meu excelente trabalho fosse reconhecido e, quanto mais rápido tomar consciência do porquê do aparecimento no seu corpo, mais rápido irei embora.

Aos poucos descobrirá que quanto melhor analisar, menos lhe visitarei. Garanto a você que chegará o dia que não me verá nem me sentirá mais. Conforme atingir esse equilíbrio e perfeição como “analisador” de sua vida, de suas emoções, de suas reações, de sua coerência, não precisará mais consultar um médico ou comprar remédios.

Por favor, me deixe sem trabalho.

Ou você acha que eu gosto do que eu faço?

Convido você para refletir sobre o motivo de minha visita, cada vez que eu apareça.

Deixe de me mostrar para os seus amigos e sua família como se eu fosse um troféu.

Estou farto que você diga:

“Então, continuo com diabetes, sou diabético”.

“Não suporto mais a dor no joelho, não consigo caminhar”.

“Aqui estou eu, sempre com enxaqueca”.

Você acha que eu sou um tesouro do qual não pretende se desapegar jamais.

Meu trabalho é vergonhoso e você deveria sentir vergonha de tanto me elogiar na frente dos outros. Toda vez que isso acontece você na verdade, está dizendo: “Olhem que fraco sou, não consigo analisar, nem compreender o meu próprio corpo, as minhas emoções, não vivo coerentemente, reparem, reparem!”.

Por favor, tome consciência, reflita e aja.

Quanto antes o fizer, mais cedo partirei de sua vida!

Atenciosamente,

O sintoma.”

Autor desconhecido. Se alguém conhecer a autoria por favor me informe para eu referenciá-lo devidamente.

Anúncios

45 comentários sobre “Muito prazer, eu sou o seu sintoma.

  1. “Quando eu, “o sintoma” apareço na sua vida, não é para lhe cumprimentar, é para lhe avisar que uma emoção contida no seu corpo, deve ser analisada e resolvida para não ficar doente. Deveria se perguntar a si mesmo: “por que apareceu esse sintoma na minha vida”, “que pretende me alertar”? Por que está aparecendo esse sintoma agora?

    Que devo mudar em mim?

    Se você deixar essas perguntas apenas para sua mente, as respostas não vão levar você além do que já vem acontecendo há anos. Deve perguntar também ao seu inconsciente, ao seu coração, às suas emoções.”

    ISTO FAZ-NOS PENSAR NAS IDAS AO MÉDICO POR TRADIÇÃO E SEM JEITO NENHUM

    Curtido por 1 pessoa

  2. MUITO INTERESSANTE E VERDADEIRO, COMUNGO COM ESTE ESCRITOR POR ACREDITAR QUE OS SINTOMAS SÃO SINALIZAÇÕES PARA PENSARMOS QUE TIPO DE VIDA ESTAMOS TENDO E QUE SINTOMAS SÃO ALERTAS E NÃO DOENÇAS.

    Curtir

  3. Nossa…
    Quanta bobeirada..
    Então quer dizer que TODOS os problemas das pessoas tem fundo emocional? Ou pelo menos SEMPRE que a pessoa tem um sintoma algum problema emocional para resolver ela tem?!
    Faz favor né?! Isso é muito desespero para conseguir atrair clientes ou simplesmente tentar dar mais importância à psicologia…
    Isso sim é um “golpe na inteligência” dos outros.
    Vergonhoso.

    Curtir

    • Em nenhum momento se diz que tudo é emoção, mas a emoção faz parte do humano e isso é indissociável, portanto, não se pode separar a vida emocional do resto da vida de uma pessoa. Apenas posso falar de minha área de atuação, ou seja, a psicologia, em minha publicações encontrará apenas conteúdos desta natureza. Se eu desempenhasse função em outra especialidade postaria coisas a respeito desta especialidade, como não o faço não se surpreenda que eu fale prioritariamente da psicologia. Lamento você ver uma publicação de blog, com um conto, como desespero, acredito que lhe falte instrução sobre a psicossomática e abrangência de visão para as diversas facetas do desenvolvimento humano e do processo de adoecimento.

      Curtido por 1 pessoa

    • Douglas,
      Não sou do canal competente mas entendo o suficiente para te dizer que a razão caminha ao lado das emoções. Vide sua resposta mal humorada acerca de uma contribuição de alguém que se preocupa em compartilhar ideias para conversarmos ou refletirmos sobre reações orgânicas, doenças… Bobeira é não conseguir coordenar pontos de vista em plena idade adulta. Não subestime a inteligência dos internautas com seus “golpes” inconclusos.

      Curtir

  4. Reverenciar o quê? o texto é completamente sem noção e ainda prega um desserviço à população.
    Quer dizer se você tem uma doença não procure o médico, basta refletir que passa? Quem tiver câncer que procure um psicólogo que passa? se está em cetoacidose basta refletir que passa? Se fraturar um osso basta refletir que passa. Cirurgia, correção metabólica e quimioterapia só tratam sintomas? Ah, faça-me o favor.

    Curtir

    • Joaquim. O texto se trata de um reflexão, um problema cardíaco, por exemplo, pode ter diversas causas, deste de má alimentação, uma vida sedentária, e por conseguinte vem a questão – “que vida essa pessoa levou para chegar a este ponto”. Entendo que a reflexão leva em questão estas perguntas, em nenhum momento se prega a irresponsabilidade com suas condições físicas, mas se leva em consideração o nível de promoção da saúde, encarando muitas das situações patológicas como fruto de uma atitude de vida que precisa ser revista. Muitos médicos entendem esta noção e ao fazer suas intervenções medicamentos e cirúrgicas procuram juntamente apoiar seus pacientes em mudanças de hábitos. Na minha área profissional tendo a priorizar as questões de relacionamento, comportamento e processo de autoconhecimento, da mesma forma indico aos meus pacientes fazerem todos os acompanhamentos médicos devidos com comprometimento, pois uma vida é coisa série e todas as intervenções que podem auxiliar no processo de cura são bem vindas. Aconselho o senhor procurar sobre psicossomática e nível de intervenção da promoção de saúde. Enfim é uma questão complexa e muito ampla, além de polêmica. Não tive intenção de ofendê-lo ou desinformar a população com a publicação, apenas fiz um movimento para a reflexão para UMA das particularidades do complexo sistema de adoecimento.

      Curtir

  5. Que fantástico…
    Parabéns ao gênio que escreveu isso.. Penso mais ou menos igual, sempre temos q procurar viver prazerosamente e prestando atenção em nosso corpo, pois afinal ele é único e exclusivo, não haverá outro igual.

    Curtir

  6. RESPOSTA DO CORPO À CARTA ENVIADA PELO SINTOMA: Olá,caro sintoma!Acabei de receber tua carta.Se me escreves é porque sabes da minha existência.Confesso que já sabia sobre tudo que me escrevestes.Inclusive que você sempre é portador de notícias pouco agradáveis.Por isso, não quero te deixar sem resposta.Confesso que gosto mesmo é de quem é portador da Boa Nova, ou seja,de boas notícias.Quem te falou que eu não te entendo e não te compreendo?Não seria presunção você afirmar que eu acho isso ou aquilo sobre você?Ou muito menos falar sobre o que o mundo pensa?Quem você pensa que é para falar numa linguagem que eu entenda?Acha-se superior intelectualmente?Então me responda:Que conversa é essa que está querendo me salvar?Que você é o bonzinho e eu sou a doença?De onde tirou a ideia de que meu estilo de vida e minhas emoções contidas é que me definem,sadio ou não?Quem disse que estou incomodado de ler essa carta?Se já te conheço a fundo e sei todas as tuas manobras para me derrotar.Quem te disse que eu nunca analisei e tentei resolver minhas emoções?Sou muito bem preparado para analisar qualquer emoção.Já fiz isso até com a ajuda de profissionais que se dizem sabedores desse trabalho que sei fazer com perfeição.Quem te afirmou que nunca consultei meu inconsciente,meu coração e minhas emoções?Entendo! Você deve estar falando de mim quando eu ainda era bebê e, lá na maternidade ,já constataram que você estava instalado nesse corpo que sou eu,e que a probabilidade de eu viver saudável nessa vida era mínima porque você estaria me atormentando o tempo todo.Você quer me convencer que tem a intenção de alertar-me sobre emoções contidas e mal resolvidas quando em mim,ainda um corpito tão pequeno,as vezes antes de nascer,você já se manifesta?Acredita mesmo que eu preciso te analisar nessas condições?Acha mesmo que eu preciso de coerência?Explique-me então como posso deixar de te ver e te sentir quando você já se manifesta numa deformidade genética,incurável?Está se confundindo agora com a doença?Vocês são conceitualmente diferentes?Não é você o bonzinho e não sou eu a doença?Esqueceu que para me definir( já que diz que a doença sou eu) você primeiro tem que se manifestar?Ou seja,eu sendo a doença não existo sem você que é o sintoma.E até posso existir sem você.Agora você não existe sem mim porque só há sintoma quando existe doença.Quem tem que tomar consciência é você.E não eu que nasci para ser feliz e não sou tão sem comprensão como você pensava.Tem certeza que você não quer que eu te mostre como troféu?Que quer que eu me desapegue de ti?Se eu corpo me desapegar de ti fico só com a doença.Como poderei tratá-la se tu sintoma não se mostrar?Se tu não se exibir?Já ouviu algum dia falar que eu corpo adoeci sem você ter se exibido?Sintoma sedutor,deixa de dizer que teu trabalho é vergonhoso!Teu trabalho é necessário!Preciso de ti para procurar ajuda,para tratar a doença que você diz ser eu e que quer destruir-me.Quanto mais te mostro,mais me convenço que preciso de cura.E não venha me dizer que sou fraco,que não comprendo o meu próprio corpo ,se eu sou o corpo.Lembra a quem dirigiu essa carta?Você se apresentou como sintoma falando a um corpo .É claro que você gosta do que faz!Você não quer ser o bonzinho?Se eu digo que preciso de você para descobrir que uma doença se instalou em mim,então estou assegurando que você é importante para mim.Isto te deixa feliz é claro!Porque se você insiste em fazer o que não gosta,quem tem que se analisar é você e não eu.Não fico dando um de bonzinho cuidando da vida dos outros,ou melhor,DESTRUINDO!!!Desculpe se você se frustou com a resposta da carta que me enviou! Atenciosamente, CORPO. Autoria:Tereza A.F.Guedes

    Curtido por 1 pessoa

  7. Excelente texto…não vamos confudir um sintoma com a doença, mas o fato é que: quando nossas emoções estão abaladas sentimos uma série de sintomas…com várias repetiçøes podem transformar numa doença.

    Curtir

    • Querido Sintoma – em muitas afirmações você com certeza tem razão, sei disso! Mas, e quando um recém-nascido já nasce com algum “sintoma”? Coitadinha, ela ainda nem tem consciência de si mesma, nem tempo para desenvolver experiências que a fizessem reagir de forma para que você se possa instalar! Você sugere, que todas as pessoas que sofrem de algum “sintoma”, elas mesmas são culpadas disso! O que me diz então de pré-disposição, talvez genética, de alguns sintomas? Conheço casos, em que sintomas que se apresentam logo após o nascimento (asma por exemplo) são impossíveis de se instalarem em consequência de certas emoções ou comportamentos, que nestes casos nem teriam tempo para se desenvolver!

      Curtir

  8. Realmente é um excelente artigo, sem duvida que todos as nossas “MALEITAS” tiveram um principio emocional, nesta vida ou em vidas passadas, temos que vigiar as nossas emoções sempre, ” se quisermos saber como nosso dia vai ser amanhã, basta tomar atenção aos nossos pensamentos de hoje”,
    Bem haja, Namastê

    Curtir

  9. Espanta-me a ignorância de algumas pessoas que não entendem o que está nas entrelinhas de um texto e ainda se acham no direito de ofender a alguem que está fazendo um serviço de utilidade pública, que é informar. Trata-se de pessoas autossuficientes, que não querem interferência de quem quer que seja em suas vidas. Por favor!!! Tenhamos respeito. A psicologia é uma área importante para a sociedade e ajuda muitas pessoas a reencontrar seu equilíbrio. Quem acha que nunca vai precisar, cuidado. A vida nos prega muitas peças. Deixemos de falsos dogmas. Muitos sintomas são sim resultado de nossas emoções e são psicossomáticos. Se não damos a devida importância, eles se manifestam como doenças. É o nosso corpo gritando e pedindo socorro, dizendo que alguma coisa não vai bem. Nosso corpo não é só matéria, somos também espírito. Quando alguém morre, fica a matéria e o espírito se vai. Então, porque ignorarmos o potencial das nossas emoções? Parabenizo ao autor e à Tereza pelos textos. Perfeitos! Tomemos consciência das necessidades do corpo e de saber enxergar os sintomas e de que, às vezes, precisamos de ajuda.

    Curtir

  10. é sintoma no meu caso vc nunca foi presente , descobri que tilha cirrose hepática com 40 anos esa doença não precisou do se alerta lamentável, pois essa doença é assintomática, entende vc nunca me avisou desculpe mais eu nunca conheci vc infelizmente se vc tivesse aparecido na minha vida mais cedo não teria chegado a esse ivel blz a doença sim se manifestou mesmo sem vc que raiva!!!

    Curtido por 1 pessoa

    • Existem muitas formas de adoecimento Josiel, ele pode ser silencioso e não demonstrar qualquer aficção física antes, pois muitas vezes o sintoma é apenas de cunho neurótico. No entanto, o corpo e mente são a mesma coisa. Encare esse momento como um oportunidade, sem grandes desafios não existe transformações. Boa sorte em seu caminho.

      Curtido por 1 pessoa

  11. Muito interessante para se refletir e se enquadrar em alguma situação.
    Procure ajuda médica ao perceber qualquer sintoma diferente em seu corpo.
    Nilséa Maria Eiterer
    Rio de Janeiro – RJ

    Curtir

  12. Parabéns, texto excelente… Realmente nos quadros psicossomáticos, o sintoma está entre o discurso médico e o discurso psicanalítico, ou seja, há um sujeito aí, que deve se expressar para que o sintoma vá embora, caso contrário, sem sujeito, o sintoma permanece e até aumenta, muitas vezes agravamento a doença.

    Curtir

  13. Excelente texto. Porque não refletir? O que este texto quer dizer? Vamos parar e pensar … Tudo que nos é dado como informação é importante. Toda leitura deve ser refletida para cada um tirar suas próprias conclusões. Temos que saber interpretar …precipitações nos levam a conclusões errôneas.

    Curtir

  14. Excelente. Como o método Vipassana, centramos a mente no sintoma, refletimos, medimos, localizamos e ele vagarosamente vai embora.
    Lamentável é ver tantas pessoas que nunca sequer ouviram falar no poder da mente. Mas como tudo tem seu tempo…Um dia seremos acordados. E todo esse poder explodirá dentro de nós. Tudo gratuito… Tudo exposto. Tudo a céu aberto.. Tudo em nós.. .Anicca…Anicca…Anicca.

    Curtir

  15. Só posso dizer que realmente essa postagem é linda, mas existem determinadas circunstâncias na vida da gente em que, por mais que entendamos exatamente o que cada um dos nossos sintomas estão GRITANDO, não temos como resolver ou mudar o nosso estilo de vida para calá-los. Sabemos o que está nos matando, mas temos necessidades que devem ser supridas, e às vezes não só nossas mas de uma família inteira. Quem não gostaria de jogar tudo para o alto e fazer somente coisas que nos dão prazer? Acontece que amor não paga conta e aí, o jeito que achamos para continuar é fazer com que eles diminuam o volume da voz para continuarmos a viver.

    Curtir

  16. Pingback: respiro da semana |

  17. Para quem conhece o livro “lá enfermedad como camino” este texto faz total sentido!!
    Gostei da reflexão e recomendo a leitura do livro acima que ajuda a tentar entender um pouco as manifestações do corpo.
    Cego o que não quer olhar para dentro de si … Mais fácil acreditar que tudo eh azar…

    Curtir

  18. “O Corpo Fala – A Linguagem Silenciosa da Comunicação Não-verbal” tenta desvendar a comunicação não-verbal do corpo humano. O livro é indicado para profissionais de qualquer área, ou seja, para todo o ser humano.

    Curtir

  19. Nem toda doença apresenta sintomas, mas todo sintoma se manifesta por causa de
    Uma doença, o problema e investigar a causa, que nos faz andar um caminho tão longo e exaustivo que gera estresse e piora muito o sintoma.

    Curtir

  20. Pingback: Links da semana – MasterChefBR + Sintomas + Magreza + Batom vinho |

  21. SIM, TODA manifestação somática tem tudo a ver com o que pensamos, sentimos e como administramos nossa vida.
    As pessoas que criticam estão passando vergonha e não sabem das últimas 6 décadas de ciência produzida sobre isso.
    Quanto menos dos ensinamentos milenares orientais.

    Curtir

  22. Estou plenamente de acordo.
    Quando deixamos passar os sinais o corpo começa a nos chamar atenção que algo não vai bem. Se não prestarmos atenção essas sinaluzações aumentam atravee de sintomas ate chegar numa doença incuravel.
    Texto incrivelmente bem escrito . Qualquer pessoa entende com facilidade. Parabéns!!

    Curtir

  23. Pingback: Muito prazer, eu sou o seu sintoma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s